sábado, 30 de janeiro de 2010

Somos muita gente.


Eu sou quem está a meu lado. Sou a minha mãe, que se passa de vez em quando, que ataca com um humor de cão e vai tudo na frente. Sou o meu irmão, que é boa pessoa, muito positivo em relação à vida, muito no seu mundo, muito sonhador. Sou a minha tia, que sempre foi como mãe para mim, sempre feliz e faladora. Sou o meu tio, muito racional, muito ponderado, muito protector em relação aos seus (o patriarca sem filhos - e pai, por amor, de nós os três). Sou a minha avó, que diz uns disparates, que é teimosa, que quando mete algo na cabeça não vale a pena dizer mais nada, e é nervosa e atrapalhada com tudo. Do meu pai não sou muito, acho que sou os dentes tortos que muitas consultas me custaram e doeram. Foi só mais uma das dores que sou dele. Sou sobretudo da minha irmã, porque essa é parte de mim, em mim, e era impossível não ser. Sou sobretudo ela, e não saberia não o ser. Sou o meu namorado, sou feliz por sê-lo, família sem sangue. Sou os meus, um pouco de todos eles.

3 comentários:

Galo disse...

Somos nós e a nossa circunstância.

Ana disse...

:) Verdade.

Patrícia disse...

E isso é tão bom, especialmente qdo os outros são tb nós proprios