quinta-feira, 19 de maio de 2011

Em defesa do gato

Acabei de assistir a uma cena que considerei espectacular! Havia de haver mais gente com a mesma coragem (inclusive eu)!
Fui às compras ao supermercado e estava um bêbedo cá fora a torturar um gatinho com cerca de um mês. Estava a atirar com ele ao ar, a apertá-lo, a tentar que o gato bebesse cerveja, enfim... eu ainda avancei para ele para lhe pedir o gato, mas estavam umas senhoras chocadas a olhar para a aquilo e a dizer que ele era violento, por isso não me cheguei. Fiz as compras e as funcionarias estavam a comentar o que se estava a passar e a dizer que se devia chamar a protecção dos animais. Mas ficou por ali, quando saí ele até estava a fazer festas ao animal e pensei "é bêbedo mas até pode ser meigo para o animal".
Mas depois fomos arrumar as compras a casa e quando estávamos parados num stop, lá ia o bêbedo a mandar o gato ao ar e a rir-se. Um gajo, dos seus vinte e tal anos, encosta o carro de repente. Avança para o bêbedo, diz-lhe "dá-me já o gato!", acho que o bêbedo ainda respondeu mas ele virou-se a ele para lhe dar uma murraça e então o bezaina deu-lhe logo o gato. O gajo pegou nele, ainda avançou para lhe dar um murro e pareceu-me ouvi-lo dizer "se te volto a ver a fazer mal a um animal, levas mesmo!". Entrou no carro, pousou o gatinho no banco ao lado e arrancou.

Achei delicioso ver como há gente que ainda ama assim animais e não aceita que lhes façam mal. Achei maravilhoso ver que aquele homem teve coragem de enfrentar assim um gajo que não conhecia, por um animal que não conhecia. Achei que a coragem foi fantástica e que aquele homem só pode ser fantástico. Lamento que nem eu nem nenhuma das senhoras antes tenhamos feito nada porque, tal como disse a minha mãe, vocês as três arrumavam o bêbedo só com um empurrão!

Mas pronto, o que aqui interessa é isto: bem-haja senhor da t-shirt branca e carro cinzento com a bicicleta no banco de trás!

8 comentários:

Fi ♥ disse...

Ainda há pessoas boas e corajosas neste mundo, quem diria...

Sílvia disse...

Ainda bem que existem pessoas assim. A minha gata mais nova veio parar cá a casa porque o otário do meu vizinho que mandou tamanho pontapé que a cegou e ela parou ao pé do nosso portão. Na altura cabia na palma da mão...

Só me apeteceu espancar o gajo...

Miss Crises disse...

Ainda existem pessoas com bom coração :)

Ana Domingos disse...

De certeza que não conheço o homem, mas casava com ele já amanhã. ;-) Ora aí está um homem de verdade, com H grande. Adorei a atitude dele, só pode ser boa pessoa.

A moca que faltava disse...

Na volta o tipo só tirou o gato ao bêbado para fazer coelho à caçadora para o jantar.
Desculpa a piada eheheh.
Também acho que nos acobardamos demais. A sociedade transformou-nos em autómatos e fingimos não ver, para não arranjar chatices.
Na semana passada vi uma coisa que me surpreendeu. Raramente ando de transportes públicos, mas fui deixar o carro na revisão e à tarde apanhei um autocarro onde ia um pequeno grupo de putos da escola, aí na casa dos 15/16 anos e um deles, sempre que os outros começavam a falar, mandava um berro : - CAAAALA-TE!
Passados uns 5 minutos já ia toda a gente com vontade de apertar o gasganete ao puto, mas como os miúdos agora não sabem o que é respeito, toda a gente abanava a cabeça e encolhia os ombros, mas a festa, no banco traseiro, continuava animada. Até que um tipo na casa dos 20 anos se virou para os putos e diz:
Oh puto, vamos lá a acabar com essa brincadeira. Pensas que vais aqui sozinho? Achas que estas pessoas têm obrigação de te aturar? Tem juizinho e é se queres levar a vida direita, ok?
Ficou toda a gente de boca aberta, até porque vindo de um jovem, foi uma atitude inesperada, mas a verdade é que os chavalos calaram-se e no fim da viagem o tipo, que por acaso também tinha uma t-shirt branca, saiu e ficou à porta a ver a cambada a dirigir-se ao Metro, com ar de quem estava pronto para dar um par de estalos a quem "mandasse" uma boca.
É muito raro ver alguém impor-se na defesa dos seus direitos, quanto mais dos direitos dos outros e muito menos dos animais.

.:GM:. disse...

Em 2007 ou 2008, em Barcelos, vi uns putos a "brincar" com um gatinho também. Um gato com poucas semanas, muito pequeno e muito magro. A brincar, como quem diz, q puxarem-lhe o rabo, a deixá-lo cair a ver se ele conseguia virar-se sempre em pleno ar, etc. Aproximei-me e perguntei se o gato era deles. Disseram que não, quera vadio, tirei-lhe o gato e levei-o a um centro de recolha de animais em Braga. Ainda tive que pagar 12 ou 13 Eur para deixar lá o gato. Que nem era meu. O problema cá em Portugal começa precisamente aí. Ainda temos de pagar pelas boas acções.

Ana disse...

Pois é minha gente, eu fiquei muito admirada e muito feliz com a atitude daquele homem, achei-o maravilhoso. :) Haja mais gente assim, cheia de coragem!

Neni disse...

Lindo, lindo, lindo!