terça-feira, 17 de maio de 2011

Vitamínicos para o cérebro


Como estamos em Maio e se aproxima a época de exames - quer do secundário quer da universidade -, pupulam nas televisões e nas rádios publicidades aos chamados vitamínicos para o cérebro.
Eu ponho-me sempre muito atenta a escutar a publicidade mas a verdade é que não consigo perceber qual a utilidade daquilo. É para nos tirar o sono e irmos para um exame de directa? (coisa mais saudável não há) É para nos pôr agitados? É para nos fazer memorizar mais rápido?

Eu sou totalmente contra isto. As pessoas devem aprender a estudar, aprender o seu ritmo, quais os horários em que conseguem absorver mais informação, gerir melhor o tempo e o material. Eu, por exemplo, punha-me a pé por volta das 9h30, começava a estudar por volta das 10h, parava para almoçar, estudava, lanchava, estudava novamente até às 20h, hora a que ia jantar, e depois do jantar só terminava de ler qualquer coisita e arrumava os livros para a manhã seguinte. Sabia que não rendia a estudar à noite, porque já estava cansada e, quiçá, talvez pela própria (falta de) luz... Aprendi o meu ritmo e nunca fiz uma directa, nunca estudei mais tarde que as 22h ou 23h, nunca passei uma noite em claro a ler ou a decorar coisas à pressão, e sempre passei a tudo.

E depois há estes, os que precisam do Cerebrum para passar numa cadeira, porque senão devem ficar mais burros e já não conseguem. E depois há os outros, os completamente loucos, como uma colega que eu tinha na faculdade, que tomava os comprimidos que o avô, com Alzheimer, tinha de tomar por causa da perda de memória. Surreal.

Aprendam é a estudar pá, o cerebrum e afins não servem para nada!

7 comentários:

Ana Sousa disse...

Ora nem mais! Tinha uma colega na faculdade que se enxarcou nisso durante dois anos até que, finalmente, percebeu que era uma idiotice! É só enganar o cansaço e os resultados nem eram assim tão fantásticos. Além disso é suposto as pessoas estudarem porque gostam e as coisas são para aprender, não se estuda por obrigação e para passar, eu pelo menos acredito nisso e esse pensamento faz-me confusão. É enganarem-se a si próprios...

*

.:GM:. disse...

Xiii... que agressiva! E a adrenalina da pressão do estudo de última hora, do trabalho para fazer e das 12 horas que nos falta para terminar o prazo de entrega, e das 50 e tal horas sem dormir com outros colegas para acabar aquele trabalho de grupo, que originam situações inesquecíveis, aumentam a cumplicidade, e só nos fazem rir? Eu não falo de Cerebrum e cenas do género, nunca nada disso, mas a cafeína estava sempre presente para aguentar aquelas últimas horas. E se queres que eu te diga, valeu tudo a pena, viveram-se experiências fantásticas, levaram-se coisas ao extremo, caímos na cama e ficámos 20 horas a dormir. E todos acabámos (e bem) e a universidade. E todos estamos bem ou muito bem na vida. Porque isso também nos prepara para o inesperado, para a pressão, para o desenrascanço. Que valem tanto quanto a gestão do tempo e a organização. :-)

aqui mesmo disse...

A questão é que normalmente não se estuda das 10 até a hora do almoço e depois ate ao lanche e depois ate ao jantar. Fora da época de exames ninguém faz isso, e inevitavelmente quando chega a época dos exames e nos vemos "obrigados" a fazer um horário de estudo desse género o cérebro recente-se. E isso não podes negar.

Ana disse...

O meu cérebro só se ressente no primeiro dia de estudo. E eu não estudava nada durante o ano, limitava-me a fazer os apontamentos! Só que quando pegava, pegava a sério, e pegava com o ritmo certo e no material certo. :)

:GM:, bem, cada um tem os seus horários! Se uns estudam melhor de dia, outros estudam melhor à noite, mas o café está sempre lá! Agora comprimidinhos mágicos, isso nãaaaa... não me convencem!

Fresco_e_Fofo disse...

Estudar? Eu nunca soube estudar. O que entrava, ficava. O que não entrava, não valia a pena correr atrás, porque já não o apanhava.
Por isso é que a atenção nas aulas é importante. Detestava aquelas caramelos/as que passavam as aulas a falar de merdices sem nada a ver e nos testes queriam que os deixasse espreitar.

Ana disse...

lol É mesmo Fofo, os cromos do costume! Muita treta muita treta, mas aquilo é muito parra e pouca uva...

Gonçalo disse...

coisas do marketing.

Já ouvi dizer que era mais psicológico mas não sei. Isso se for verdade, deve é estimular um bocado. Andei para comprar isso montes de tempo e nunca comprei. LOOL.

Também a partir das 22h não conseguia estudar... fritava logo! Levantava-me sempre as 6h ou 6h30 da manhã e começa a estudar LOOL (no dia do teste/frequência) para rever!