terça-feira, 3 de setembro de 2013

Chamem a polícia, wew wew wew...

Surreal, é como posso descrever o que acabou de acontecer:

Estou a trabalhar na minha loja e tem um senhor marido de uma senhora que tem uma costureira aqui em frente à loja que anda sempre bêbedo. Todos os dias insiste em estacionar em frente à minha montra e então farta-se de chamar nomes porque tenho a placa de metal que o impede de o fazer, mas tudo bem... Hoje o Caixote chegou e estava a falar ao telemóvel. Ao mesmo tempo, o bêbedo chegou. O Caixote tropeçou e apoiou-se levemente no carro dele, mas foi só. O bêbedo começou a chamar-lhe cabr*o, que o ia matar, que lhe ia dar dois murros e enfiá-lo na montra... coisas assim. Eu de repente começo a ouvir aquilo e o Caixote diz-lhe "Mas você está a ameaçar quem? Eu toquei-lhe no carro, por acaso? Tropecei e encostei-me foi só! Chamo já a polícia se continua!", e ele continuou a ameaçar e o Caixote meio calado.

Ora Dona Caixa, que é uma moça muuuuito mansa (not), sai porta fora e diz "Mas vocês está louco?! Fez-lhe alguma coisa no carro?! Está a ameaçar quem?" e o gajo "Calou! (e a fazer gesto tipo zip na boca) e eu fiquei furiosa: "Mas está a mandar calar quem?! Conhece-me de algum lado?! Vai-me ameaçar a mim?! Venha cá e dê dois murros e vemos o que acontece! É que é já chamar a polícia!"

E ele riu-se, continuou a ameaçar e tirou o carro. A cena terminou. Entraram uns clientes, estava a atender e o gajo entra na minha loja e a dizer ao Caixote "Cabr*o, estripo-te toda. Anda cá fora que te vou estripar todo...". Eu fiquei hiper envergonhada com um cliente no balcão a olhar estarrecido para aquilo e só disse "Chama a polícia", e chamou.

A polícia veio, o Caixote tinha ligado a explicar que tocou com a mão num carro e o gajo começou a ameaçar e a chamar nomes como bom bêbedo que é... Ora além do surreal disto tudo, vem a melhor parte:

A polícia chegou e diz "Pensei que fosse um problema de trânsito, então não é, não posso fazer nada. Se quiser vá apresentar queixa à esquadra.". Ao mesmo tempo, o bêbedo estava na varanda a dizer que nos ia partir os focinhos e arrancar os dentes. E o polícia disse que não ouviu isso e foi embora!!!

Posto isto, a seguir a mulher do bêbedo veio à varanda e disse que o meu Caixote só arranjava problemas e chamava a polícia e eu fiquei estupefacta e só lhe gritei prá varanda "Mas o que raio está você a dizer?! Ele nem trabalha aqui, nós nunca chamamos a polícia, o seu marido entrou na minha loja em frente a um cliente a dizer que o estripava todo e você diz isso?!" e ela virou costas e continuou a ralhar...

Portanto, não chamem a polícia. Não querem saber. Se vos estriparem, olhem, azar...

14 comentários:

GATA disse...

Não sou de desejar mal mas... não há ninguém que atropele o bêbado e o mande, tipo, 6 meses para o hospital???

Infelizmente a polícia não faz nada! Eu fui ameaçada e perseguida pelo meu ex, e a polícia só dizia "Mas tem provas palpáveis?" [eu dava-lhes uns 'palpáveis nas trombas!!!] Eu limitei-me a dizer que, se eu aparecesse morta, os agentes a quem eu fiz queixa seriam notificados pelo advogado da minha família. Enfim...

Conto de Fadas disse...

GATA, eu a determinada altura fiquei assustada. Mas sobretudo irritada, muito irritada porque ninguém fez nada! Não anotaram nome, nada, nem saíram do carro... viram com ele era e como já é costume, foram embora. Enfim!

Princesa Tesa disse...

Oh! Que grande chatice. Eu ficava cheia de medo, esses bêbedos nunca se sabe, passa-lhes uma ventania na cabeça e são bem capazes de fazer mal a alguém.
Mas realmente, como é diferente a policia "daí" para a policia "daqui"... Não me posso queixar dos policias da minha zona. Em 8 anos chameio-os mais de meia dúzia de vezes, ora por bêbados (eu moro por cima de um bar muito badalado) ora por drogados a alucinar aqui na rua e eles alem de virem sempre, identificam as pessoas e fazem rusga.
Eu tenho o hábito de quando telefono pedir sempre desculpa por estar a incomodar e de dizer que provavelmente o acontecimento não tem importância para se deslocarem mas que realmente está-me a incomodar e por isso é que lhes telefono e regra geral a resposta que oiço é algo como "oh minha senhora, vamos já mandar um carro patrulha, fazemos a identificação e chamamos à atenção para que não reincidam".
Por acaso, se há instituições em quem confio plenamente é na PSP e na GNR, nunca me desiludiram.
Agora, se calhar, deves ter ligado para a esquadra de transito e não para a esquadra "normal"... é que são diferentes, tem números diferentes e funções/poderes diferentes...

Caixa disse...

Princesa, nós ligamos para a polícia local. Mandaram por engano um polícia de trânsito e de seguida um carro patrulha. O primeiro, a ouvir o homem ameaçar-nos, disse "eu só trato de coisas de trânsito" e ignorou. Quer dizer, se vir alguém a ser espancado na rua vai ignorar porque está na brigada de transito?! Mas é ou não é polícia?! Os segundos nem saíram do carro. :) E assim foi.

Carla disse...

Que horror!
Raio do homem...

GATA disse...

Princesa Tesa: não sei onde vives, mas ainda bem que na tua zona os polícias trabalham! Infelizmente não tenho a melhor opinião da PSP (da GNR nunca precisei).

Princesa Tesa disse...

Gata: Vivo num bairro suburbano da capital, mas por acaso é uma zona muito pacífica.
Caixa: Isso não é nada normal! Podes, e deves, telefonar para a esquadra fazer queixa do que se passou contigo (de primeiro terem mandado uma patrulha de trânsito e de a segunda patrulha nem ter saído do carro) e pedir um levantamento do auto. Pelo menos terás a justificação para o que te aconteceu e os policias são chamados à atenção. Eles tinham que te ter identificado a ti enquanto queixosa ao bêbado e a possíveis testemunhas, para posteriormente teres meios para apresentar queixa judicial, porque chamar nomes e ameaçar é um crime punível por lei.

Conto de Fadas disse...

O bêbedo hoje já nem parou perto da minha loja e não me chateou. Se a coisa ficar por aqui, não me vou chatear com queixas... mas se me volta a dizer uma palavra, vou à polícia na hora!

Dama de Aço disse...

A polícia do nosso país é uma merda seca... Depois de tudo o que vejo e oiço só posso concluir isso.

Saltos Altos Vermelhos disse...

Ehhhh lá! Isso é que não! E então a questão do desacato à ordem publica? Isso já não existe? Ou eu estou muito jurássica...

GATA disse...

Princesa Tesa: bons e maus profissionais há em todas as profissões, lamentavelmente eu ainda não conheci nenhum polícia que mereça o meu respeito. Mas ainda bem que na tua zona as coisas funcionam, dá-me esperança que também - um dia, quiçá - funcionem na minha zona! :-)

Caixa disse...

Olhem enfim, ao menos o gajo ficou com cagufo porque ontem já estacionou longe da loja e nem uma palavra. :)

Miss Maybe disse...

Ontem à saída do Avante encontrei uma carteira perdida no chao. Decidi pegar nela e ir entrega-la a um policia que estava numa rua ali perto. Disse-lhe que tinha encontrado aquela carteira perdida e ele fica a olhar para mim e responde: "ah...", como quem diz "e então o que é que quer que eu faça??

E assim ficou.

Eu já não gosto de policias. Juntar a tua historia à minha não abona muito a favor deles lol

Problemas com 'vizinhos' sao smp uma treta. muita paciencia nessa horaaa

maybe-theblog.blogspot.pt

EscritaDela disse...

Enfim é triste mas a realidade é mesmo essa. E mesmo quando são problemas de trânsito, se puderem eles tentam nem se envolver. Não pedem para bufar ao balão, não pedem a carta de condução, nem se o condutor for visivelmente um menor! Não digo que sejam todos assim, mas basta haver um que o faça para já ser inadmissível :/