sábado, 22 de dezembro de 2012

Secrets


Eu sou uma daquelas pessoas que fala abertamente sobre a sua vida: não tenho grandes segredos, não tenho problemas em falar sobre a minha família, os meus sentimentos, o que gosto ou desgosto... Talvez por isso não compreenda muito bem aquele pessoal que pode conhecer alguém há séculos, até se dar bem, mas nunca sabemos nada deles: da família, o que fizeram, o que já lhes aconteceu, coisas assim, triviais ou não... Dá-me sempre a sensação que um dia vão desenterrar os podres todos, algo gravíssimo.

6 comentários:

Teresa disse...

Eu, por exemplo, sou um pouco assim.
Desde pequena que nunca falei muito da mim nem da minha família talvez porque o ambiente em casa não era dos melhores e não era de todo algo de que me orgulhasse e quisesse partilhar. Mas também acho que depende muito da personalidade.

Petra disse...

Nem toda a gente se sente a vontade para falar da sua vida, porque há vidas e vidas, e eu lido diariamente com vidas muito complicadas.... E olha que por vezes vale mais guardar para nós e partilhar apenas com quem confiamos a s+ério... beijo e boas festas!

microcephalus disse...

Há pessoas que preferem falar da vida dos outros. xD

Mia disse...

Eu não falo muito sobre a minha vida e no entanto não tenho nada a esconder, não tenho nenhum podre. Simplesmente tenho uma forma de estar discreta e não gosto de contar tudo, acho que não há essa necessidade. E faz-me impressão as pessoas que contam tudo e mais alguma coisa, que me fazem já saber tudo das pessoas de quem falam sem mesmo as conhecer. São formas de se estar, só isso.

Conto de Fadas disse...

Eu não conto tuuuudo, como é claro. Mas há pessoas com quem lido há anos, não sei se têm mãe, pai, se têm filhos... o que fazem, por exemplo. Porque nunca comentam nada, nao dizem nada. E isso é estranho, se estamos à vontade para estar horas na conversa, não seria normal que já soubesse esse género de coisas, tão normais?

GATA disse...

Eu sou uma pessoa reservada e, muitas vezes, nem os meus amigos mais próximos sabem dos meus problemas. Não tenho nada a esconder mas, p.e., na minha vida profissional sou uma e na minha vida pessoal sou outra, e não misturo as duas. É uma questão de auto-preservação.