segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Do desdém

Uma coisa que nunca apreciei foi o desdém alheio pelas vitórias dos outros. Quando abri a minha loja, mal ou bem é um negócio próprio, mal ou bem é uma batalha que resolvi travar (e digo isto sem qualquer ar de heroína, mas um negócio que começa agora é mesmo uma batalha), mal ou bem sou uma pessoa que, com 22 anos na altura, se lançou e arriscou. Por isso mesmo, fez-me um pouco de comichice saberem que, ao saber que abri uma loja, algumas pessoas disseram "Ah, coitadinha..." ou "Ah, tanta coisa na faculdade pra ir trabalhar atrás de um balcão...". Essas pessoas parece que não conseguem o lado positivo e louvável de alguém abrir um negócio próprio, só desdenharam.
Quando fui convidada para a televisão, houve uma pessoa que até disso quis desdenhar. Além da minha concorrente manhosa e ordinária de que já vos falei, houve uma menina que já tinha ido à televisão com o seu projecto e resolveu dizer algo do género "Ah, mas tu foste convidada? Eu fui... eu nunca mandei um email, nunca contactei ninguém, nunca nada! Eles é que me convidaram! Ai se eu andava a contactar alguém, a pedinchar!", num claro desdém por saber que, da primeira vez que fui à tv, foi porque mandei um email a propor e no dia a seguir me responderam a dizer para ir ao programa dali a 3 dias.
Isto a propósito de ter visto hoje num blogue uma clara atitude de desdém e de ai-que-sou-tão-boa-para-essas-coisas por ter sido convidada para um "programazinha" de tv e ter rejeitado. Ora, eu fui convidada para o mesmo programa, para o mesmo tema presumo. E eu aceitei. E não é por eu ter aceite que estou a dizer que é errado desdenhar. O que acho veio é que se desvalorize e quase se diga ai-se-eu-ia-àquela-merda, quando de facto há gente que não desdenha e aproveita e às tantas até tira vantagem disso.
A minha concorrente manhosa e ordinária de que já vos falei uma altura, numa das suas ofensas virtuais, também me escreveu que "eu nunca precisei de ir à tv, aparecer em programas de rádio ou no jornal para vender", numa também óbvia dor a que eu chamo dor de cotovelo, mas em vez de estar calada, resolveu vir desdenhar.

Enerva-me, prontos. É que na minha terra sempre se disse que quem desdenha quer comprar.


15 comentários:

Camila disse...

Acho que ás vezes as pessoas fazem esse tipo de comentário "ai tanta faculdade e agora ta atras de um balcão" mas nem sempre é com desdém.. A verdade é que investimos anos da nossa vida e dinheiro e muita vez acabamos a fazer coisas que nada têm a ver com o nosso curso. É verdade que é uma vitoria abrir um negócio e dou.te muito mérito por isso, mas se calhar se tivesses encontrado trabalho utilizando o curso que tiraste tinhas seguido por ai.*

Caixa disse...

Camila, quando foi dito foi com desdém. Nem foi desdém, foi gozo... Como se tivesse algum motivo para gozar...

Quanto ao facto de se tivesse arranjado na minha área ter seguido por aí, claro que sim! Era o caminho mais fácil! Há mais de 2 anos que me licenciei e até hoje nada... Mas hoje digo, com toda a certeza, que não desistiria da minha loja para trabalhar em Direito. E eu acho que nunca, em tempo algum, alguém que dá a volta numa situação má deve ser desdenhado...

Cláudia disse...

também li o blog que referes e também achei muito snob. Aliás, no caso em concreto, tudo ali é muito snob, muito perfeitinho e cor de rosinha, portanto não me admira esse tipo de atitude.

Relativamente a todos os outros, é triste que as pessoas não saiba lidar com o sucesso alheio e que lhes faça mais comichão a elas as decisões dos outros do que propriamente aos interessados.

Maria Joao Ferreira disse...

Hummmm, algo me deve estar a escapar aqui mas pronto. Há dois tipos de pessoas: as que nascem com o cuzinho virado prá lua, e aquelas que batalham e têm mérito -próprio- na vida. Filhota, só desdenha quem se sente incomodado. Os meus pais sempre me ensinaram, para o bem e para o mal, a "comparar-me" sempre e apenas com quem está melhor do que eu, para me dar ânimo para batalhar mais, para querer mais, para alcançar mais. Se fosses uma pobre coitada irias fazer comichose? Óbvio que não. Foste tu que enviaste e-mail? Ótimo, só mostra que és proativa e que estás aí para as curvas. Como li hoje "good things come to those who work their asses off", e não para "thoses who wait". Clap clap clap querida Poeirenta, por não teres ficado rendida à inércia neste país de mamões e decidiste fazer-te à vidinha, salvo seja :)

Eu gosto da tal pessoa que declinou o convite, faz-me rir, e para mim basta. Há coisas das quais não gosto, claro, mas não me cabe julgar, sendo que não a conheço o suficiente (aliás, nada).

E já chega, que este cantinho não é o meu!

Conto de Fadas disse...

Cláudia, algo se passa ali, definitivamente. É tudo tão amoroso e perfeito que até enjoa... e depois aquela mania de deitar abaixo o que não lhe interessa faz-me confusão. Seja este convite, sejam roupas de que não gosta, atitudes de que não gosta... parece que ali está a verdade universal.

Conto de Fadas disse...

Maria João, eu também gosto daquele blog, apesar de não gostar de muitas coisas, senão nem lá ia. Só não gosto nada daquela mania de quase ridicularizar coisas das quais não gosta, neste caso o tal "programinha" em que por acaso até vou participar. HeHeHe Bem sei que não é nenhum programa de ciência, mas vale o que vale para os efeitos que pretende, e para o que é serve.

Quanto ao resto, efectivamente não acho que tenha feito nada de especial além de "fazer pela vida". Ou começava o meu negócio ou provavelmente ainda estaria a trabalhar na loja de roupa que odiava... entre as duas, optei por arriscar e optei por ser feliz. E ainda bem, embora continue a ouvir coisas de quem menos espero que me deixam parvas. Há gente que talhou para si o caminho A e não consegue ver o B, C, D...

Conto de Fadas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Coquinhas disse...

Na minha terra também se diz isso. E tenhas sido convidada ou tenhas mandado mail que mal é que tem? Estás a fazer pela vidinha...há muita gente que fala dos outros mas depois ficam em casa a lamentar-se pela má sorte, etc. Tu fazes pela tua, da melhor formas que podes fazer, e isso faz comichão a muita gente... Mas como é que se diz? Os cães ladram e a caravana passa não é? :) ***

GATA disse...

Ó pá, só a mim é que ninguém me convida para ir à tv, especiamente ao programa do Trouxa e da Saloia! :-) AMUEI!!!

Eu já te disse várias vezes que a inveja, juntamente com a cagança, é uma caracteristica do povo português que eu detesto! E as redes virtuais vierma potenciar o lado mau das pessoas... Mas lembra-te: as 'cadelas' ladram e a caravana passa!

TURRINHAS! e se precisares de unhas para arranhar alguém, CALL ME! :-)

GATA disse...

Correcção: VIERAM, e não 'vierma' (que mais parece verme, credo!)

Conto de Fadas disse...

Têm razão meninas, têm razão. A mania da superioridade como quem "pfffff, isso para mim não serve..." irrita-me pá, pronto, irrita-me.

Lígia Gonçalves Silva disse...

Olá :)

Ahahah! Acabei agora mesmo de ler o tal post e estava aqui a pensar... se o programa é tão "inho", e se tudo aquilo são coisas tão inferiores, porquê escrever aquele post?! Oh meu Deus...

Passei por aqui e pronto, disseste tudo! :p

Beijinhos

Conto de Fadas disse...

Pois Lígia, é isso tudo e tudo isso. :)

Cris disse...

Quem desdenha quer comprar, então que passe aí pela lojinha e se avie!! :-))

Cris disse...

bem , parecem as comadres:) já agora partilhem...tb quero ler. Contribuam para a minha informação:)