domingo, 5 de setembro de 2010

The Box


Ontem à noite fui ver o filme The box ou, em português, Presente de Morte. Desde que vi o trailer que fiquei curiosa em relação ao filme e lá fui eu! O Sapo resume-o da seguinte forma:

O ano é 1976. Norma Lewis é professora de um liceu privado e o seu marido, Arthur, um engenheiro que trabalha na NASA. Eles são, por todas as razões, um casal banal a viver a sua vida nos subúrbios com o filho. Até que um homem misterioso, com a cara horrivelmente desfigurada, aparece à sua porta e lhes apresenta uma proposta que irá alterar as suas vidas para sempre: uma caixa. Com apenas 24 horas para tomar uma decisão, Norma e Arthur enfrentam um enorme dilema moral. E rapidamente descobrem que as ramificações da decisão ultrapassam o seu controlo e vão muito além dos seus próprios destinos.

Ora bem, que posso eu dizer? Gostei do filme, até gostei. Mas sobretudo o filme perturbou-me e enervou-me. Sabem aqueles filmes que põem as pessoas nervosas e confusas e irritadas? É um desses! Só por isso, já vale a pena. Mas vale a pena sobretudo por nos pôr a pensar no que faríamos se a proposta que é feita a este casal fosse feita a nós mesmos. Eu tenho a certeza de qual seria a minha decisão. Mas também sei que a de muita gente seria a contrária.
Posso ainda dizer que acho que o tema central do filme é muito interessante mas que poderia ter sido muito melhor aproveitado, de uma forma mais realista. E que, ah, não sei se era para parecer que estavam realmente em 1976, mas a interpretação dos actores soou-me esquisita! A da Cameron Diaz então, achei mesmo estranhamente forçada!

3 comentários:

Fresco_e_Fofo disse...

Não gosto de filmes que me irritem. Não preciso loool.
Não fico bem a ver filmes sobre o holocausto, sobre a Máfia e todos os que abordem temas humanitários com muito sofrimento.
Talvez por isso vou pouco ao cinema e tenho um disco rígido cheio de filmes que não vejo.
Normalmente um bom filme dramático tem o condão de me deixar deprimido ou irritado e, muito sinceramente, disso já tenho com fartura na vida real.
Os outros, mais ligeiros, tornam-se deprimentes por isso mesmo. São tipo tesourinhos deprimentes loool.
Comédia... bem, eu não gosto mesmo de cinema ahahah.

boneca de porcelana disse...

Tal como o comentário anterior: tb não gosto de filmes que me irritem e que sejam confusos. mas ainda bem que me avisaste porque esse era um dos que eu queria ver!

***

Ana disse...

lol Mas a história até em engraçada... embora ache que tenha ficcionado demasiado e aquilo ficou muito esquisito!