sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Quem conta um conto...

Estou na situação horrível de ter de escolher em acreditar numa de duas amigas, ou entre uma ex-amiga (porque nos zangámos há três meses e nunca mais falamos) e uma actual amiga.(que já é minha amiga há anos, mas que desde o início deste ano é que anda sempre comigo, porque entretanto esteve um ano fora). Uma delas é aquela de que vos falei, que me desiludiu e magoou muito. Se as coisas fossem tão claras como imaginava que fossem, nunca mais lhe dirigiria a palavra! Mas ela ontem ligou-me para conversar comigo (3 meses depois de deixarmos de falar) e conversamos horas. Fez-me balançar, disso não haja dúvida. Justificou muitos dos seus comportamentos, negou as acusações. Pôs em cheque tudo aquilo que a outra me contou que ela lhe disse, todas as palavras más sobre pessoas que amo, e afirmou que foi a outra quem afinal falou coisas graves da minha irmã e do meu namorado. Garantiu-me que não disse nada. Hoje falei com a segunda amiga, que me disse que a outra disse sim senhor as coisas más.

Eu fico assim, sem saber o que pensar, sem saber em quem confiar. Acho que vou fazer como me disse a minha mãe, uma pessoa mais vivida: esquecer um bocado o assunto e deixar para trás o que está para trás. Acredito que em ambas as partes haja verdade e mentira. Acho que ambas exageraram no que me disseram que a outra disse. Mas sei que ambas gostam de mim e gosto de ambas. Também sei que as pessoas às vezes têm dificuldade em "partilhar" as amigas e fazem coisas destas.

Claro está que, se alguma delas disse realmente as coisas que me disseram que foram ditas, então essa é má. É má e não merece a minha amizade! E se alguma delas inventou que a outra disse essas tais coisas só para acabar com a nossa amizade, é pior ainda! O pior é que eu não tenho certezas de nada e não posso adivinhar quem mente e quem fala a verdade, porque eu considerava as duas amigas.

Vou ultrapassar tudo o que ouvi por um motivo: porque há uns tempos li em qualquer lado, acho que num outro blog, que às vezes nos é difícil aceitar que as pessoas que amamos não são perfeitas. Também mentem. também exageram, também erram. Por isso mesmo, ponto final neste assunto. A verdade virá com o tempo, disse a minha mãe.

6 comentários:

Petra Pink disse...

tens razão.... aliás a tua mãe tem..... mas que essas coisas doem.... doem.... e depois voltar a confiar nessas gajas?
cuuusta..... acredita.

JS disse...

Eu não gostaria de estar na tua situação. Acho que deves continuar a falar com as duas, talvez esquecer porque, pelos vistos não vais conseguir saber o que realmente aconteceu. Mas algo aconteceu e por isso eu no teu lugar, para não voltar a sofrer no futuro, ficaria de pé atrás.

Beijinhos

Ana disse...

É isso mesmo que vou fazer! Pôr uma pedra por cima mas ficar de pé atrás. Porque quem fala dos meus da maneira que foi falada, não merece lá grande confiança...

Fresco_e_Fofo disse...

As mães costumam acertar nessas (e noutras) coisas.
Mas essas tuas amigas são um bocadito "reles" eheheh

Beijinho

Narizinho Lunático disse...

A tua mãe tem toda a razão, a verdade acaba sempre por surgir! Não gostava nada de estar na tua situação. E parece-me que só tens 2 soluções possíveis. Ou esqueces o que aconteceu e continuas amiga das duas. Ou acabas por te afastares das duas. Não vá o diabo tecê-las e estarem as duas a mentir, sabe-se lá. Também podes colocá-las frente a frente, cara-a-cara, e as três esclarecerem tudo o que há para esclarecer... Beijinho e boa sorte!! :)

Ana disse...

Ai eu já nem sei se são amigas... Afinal, depois desta última conversa, nem uma nem outra me disse mais nada. Enfim!