sábado, 6 de novembro de 2010

Da sinceridade

Sou da opinião que as relações, de que espécie sejam, têm de se basear na sinceridade entre as pessoas, pois só assim funcionam.
A minha anterior relação amorosa, que durou 3 anos, não se baseava grande coisa na sinceridade, diga-se de passagem... Eu era sincera com ele, mas sempre notei naqueles olhos que havia ali muita coisa obscura por dizer, muitas mentiras, muitos subterfúgios. Mas como eu não lhe disse isso desde o primeiro dia, depois também nunca mais disse! Havia coisas que eu sentia e não dizia, havia coisas que queria contar e não contava, havia coisas que me irritavam e eu não reclamava, and so on...
Depois de um ano sozinha, comecei a minha actual relação, já lá vão (faz amanhã) 2 anos e 4 meses. Mesmo antes de começar a namorar, falei logo com a maior honestidade com o meu Caixote. Contei-lhe muita coisa da minha anterior relação, muita coisa sobre mim, contei alguns dos meus sonhos, contei o que admitia e o que não admitia numa relação, etc... Portanto, pode dizer-se que ele já sabia aquilo em que se ia meter! Desde o primeiro dia que é assim, e é por isso que sinto que eu e ele temos uma relação especial.
Muitas vezes até eu sinto que sou bronca porque lhe digo coisas não politicamente correctas do género "pá, tira-me esse casaco que pareces paneleiro" ou "eu até te posso estar a dizer que não me chateio se fizeres isso, mas tu sabes que me chateio, por isso não te digo que não fico chateada, não adianta, é uma perda de tempo". Ele sente-se à vontade para fazer o mesmo comigo, e às vezes sai-se com um "essa camisola faz-te parecer que até nem tens muitas mamas amor, é milagre!" ou um "tenho de ir cagar".
Nós somos felizes, realmente felizes. É claro que temos os nossos problemas - porque nenhum de nós é perfeito - mas acredito que temos substancialmente menos problemas do que a maioria dos casais, porque nos habituamos a dizer um ao outro a verdade e tudo o que pensamos. Se era desnecessário dizermos "tenho de cagar" um ao outro? Claro! Mas, será que tem algum problema? Nem por isso. É claro que é informação a mais, mas antes isso do que estar dois dias sem cagar, aflitinha quase a estourar, como me acontecia com o meu anterior namorado, porque eu não queria que ele reparasse que eu precisava de fazer as minhas necessidades quando ele estava alguns dias comigo lá em casa! Agora parece estúpido, mas era o que acontecia (e sei de muita gente a quem acontece o mesmo) e realmente era uma chatice.
Por isso mesmo, digo sempre a toda a gente que começa a namorar: habitua-te a dizer logo tudo o que pensas, diz o que sentes sempre, mostra o que gostas e o que não gostas, se o outro fizer alguma coisa de que não gostas fala, queixa-te, resmunga. Não te cales, porque senão nunca mais vais abrir a boca.

7 comentários:

Sabor Adocicado* disse...

parece-me sem dúvida a melhor atitude a ter numa relação e talvez a única capaz de a fazer resultar :D

teardrop disse...

Uma relação sem sinceridade não tem uma base de sustentação. Também me aconteceu algo parecido... Felizmente aprendemos sempre com as experiências menos positivas e mudamos o nosso comportamento!
Beijinhos

Petra Pink disse...

é isso mesmo! sinceridade, uma boa forma de saber se nos adaptamos ou não à relação!

Ana disse...

Pois é meninas, só assim funciona... senão, nada feito.

Narizinho Lunático disse...

Concordo contigo em 100%!! :) Bjs

Dora disse...

Eu não acho que "pá, tira-me esse casaco que pareces paneleiro" seja politicamente correcto. Já disse bem pior e olho e comento os gajos que acho giros.

Os namorados são também os nossos melhores amigos e se há confiança, não há qualquer problema.

Ana disse...

Pois é Dora, tens toda a razão. Mas há muita gente que me ouve dizer essas coisas e me diz logo "Oh Ana, isso é coisa que se diga?!" mas eu não vejo problema...