sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

Carrossel da vida


Às vezes dou comigo a pensar como a minha vida acabou por ser diferente do que aquilo que esperava, há quase 6 anos atrás, quando já me estava preparar para os exames nacionais (brilhantes, diga-se de passagem, apesar do que nos aconteceu nessa altura) para concorrer à faculdade.
Quando se entra na faculdade vamos, invariavelmente, cheios de sonhos: conhecer muita gente porreira (not), fazer muitos amigos (not), sair muito à noite (not), participar na praxe (um dia não conta... not), ter os melhores anos das nossas vidas (not). Acho que o facto se estas etapas estarem todas a not está correlacionado: não fui à praxe, não conheci muita gente, acabei por não fazer grandes amigos, acabei por não sair muito à noite e não ter os melhores anos da minha vida.
Mas, quando no final dos 4 anos me formei, acreditava que ia arranjar emprego nalguma coisa relacionada. Lembro-me de andar no Porto a comprar calças mais formais, a ver blusas e tal... e isso nunca aconteceu. As calças continuam lá paradas e as blusas nem vê-las!
Fui fazer promoções, depois fui trabalhar numa loja de decoração e depois numa loja de roupa. E depois abri a minha própria loja... nunca pensei que a minha vida fosse dar nisto, mas estou mesmo satisfeita.

A vida dá muitas voltas, não é verdade?

6 comentários:

Sabor Adocicado* disse...

por agora o meu percurso tem sido mais ou menos como o teu. Mas eu sei que não aguento se não conseguir emprego na área. Isto, neste momento, é a minha vida, a única coisa que está a resultar.

GATA disse...

A minha vida também deu muitas voltas, ó se deu!

Mas em relação aos tempos da faculdade... conheci muita gente, mas nem toda porreira, claro; não fiz muitos amigos, mas também não sou de muitas amizades, sou de "poucos mas bons"; ah, saí muito à noite, saí!; não participei na praxe nem na viagem de finalistas (que não houve, porque ninguém se pôs de acordo); os melhores anos das nossas vidas, isso é discutível... mas, olhando para trás, a vida era mais fácil...

Confuskos disse...

Também me safei largamente ás praxes!! E sobrevivemos, certo!?

Tal como tu não conheci essa gente muito fixe toda, mas conheci várias pessoas muito especiais! :)

Há que lutar! E tudo (ou quase) tem solução! :)

Beijinho*

Camila disse...

Fui praxada, como tantas outras pessoas. Se isso contribuiu para que tudo fosse mais facil e fizesse mais amigos? não.. quem é meu amigo é porque eu acho que essa pessoa vale mesmo a pena, são poucos, mas são bons..
ainda estou na faculdade, ainda quero arranjar emprego na area, ou fora dela, desde que seja algo que eu goste.. mas tal como tu, quero é que as coisas corram bem :)

Caixa disse...

Sabor, claro que aguentas, fossem todos os males do mundo esses! Nós temos a capacidade de nos reinventarmos... :)

Gata, a quem o dizes... a minha já na faculdade não era muito fácil mas agora é bem pior. lol

Confuskos, há que lutar mesmo. Sempre. :)

Camila, e correm quando nos esforçamos muito! Olha, eu luto como uma mula todos os dias nesta loja, e está a correr super bem este mês. Contra tudo o esperado!

Sentimento de Mim disse...

O que importa é sermos felizes a fazer o que gostamos, tal como nos diz o coração.