quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Agora até fiquei mal disposta com a reportagem sobre as cheias que estão a acontecer no Brasil. Quase comecei a chorar com a imagem da brasileira a ser salva agarrada ao seu cão (no meio daquilo tudo, não o largou!) e conforme se ia afogando perdeu o cão no meio da água. Graças a Deus que ela se salvou, mas fiquei tão mal disposta por causa do cão... Se uma coisa me acontecesse, não sei como raio ia arranjar 6 braços para agarrar nos meus três gatos, mas tinha de arranjar...

4 comentários:

dinona disse...

Ainda bem que eu não vi isso!
E sinceramente nem quero ver, porque tu "quase" que choras, mas eu choro mesmo e sou capaz de estar um dia inteiro a chorar sempre me que me lembro.

comovo-me as pessoas que tentam salvar os seus bichinhos, não se limitando como a maioria "são apenas animais".

Eu nunca conseguiria largar o meu cão e os meus três gatos para a morte, são como a minha família de sangue.

O Momento Perfeito disse...

Isso é que de valor, as pessoas não se preocuparem só consigo, é triste que não tenha conseguido mas tentou.. Quem sabe o cão também não se salvou.. *

Cora disse...

Oi Ana,
Sou brasileira, uma pena, uma tristeza, acabei de falar a uma amiga, dá até raiva em estar feliz, quando a tanta tristeza!!

Um beijo.

Ana disse...

Há tantas desgraças no mundo que nós só podemos dar graças a Deus por estarmos neste país, que pode ter uns políticos de merda, estar debaixo de uma crise económica, mas ao menos cá não passam tornados, não há cheias destas (tirando a tragédia da Madeira no ano passado), não há fogos que devastam tudo e todos como na Califórnia, não há tsunamis... até ao dia.

Mas sim, o que me impressionou naquela imagem foi o amor da senhora ao cão. E como eu a compreendo.