sábado, 22 de janeiro de 2011

'Ca nervos!


A personagem que entrou cá em casa há uns meses pensa que manda nisto tudo. Só o aguento porque a minha mãe gosta nele, mas na verdade ele dá-me um nó no estômago...
Agora decidiu que quer um cão. Informou-nos hoje de tarde que quer um cão e que para a semana vai falar com um colega para lhe dar um caniche e vai trazê-lo cá pra casa. Ora bem, nós já somos 5 pessoas a viver num apartamento, mais três gatos adultos, e ele decidiu que quer um cão e ele decidiu, está decidido! Pelos vistos tornou-se no dono da casa e mais ninguém pode dar a sua opinião e muito menos contestar. Diz-me ele assim "As pessoas têm é de se sentir bem em casa. Se eu quero um cão pra me sentir bem, os outros têm é de aceitar, e os gatos também têm é de aceitar"! Olha, já agora, eu quero que te ponhas no caralh*, pões-te?
Onde é que já se viu isto? Quer um cão, arranje uma casa para si mesmo e para o cão! Nós nunca tivemos um cão aqui porque o nosso apartamento não dá para ter cães e porque já temos 3 gatos, mas ele quer um cão e não quer saber da opinião dos outros!
Eu adoro cães e gatos e quem me dera ter dezenas deles, mas sou totalmente contra ter animais sem ter condições para eles, e o facto é que com os gatos e o tamanho do nosso apartamento, não temos espaço para mais um gato, quanto mais um cão! E depois, claro, quem cuida dele, passeia, alimenta, leva ao veterinário, dá vacinas, dá desparasitante, dá anti-pulgas, não é ele, porque ele não trabalha e vive às custas da minha mãe e nem dinheiro para isso tem.

Isto só pode ter sido makumba... a minha mãe não pode estar tão cega. E ela merece tão melhor, mas tão melhor...

O homem é detestável.

9 comentários:

*Sininho* disse...

=/
Situação complicada realmente...
Para quem está de fora é tudo fácil, para quem está na tua pele não deve ser nada! Dá uma oportunidade... pela tua mãe...
Força!
Beijinhos *

Julie disse...

Que situação...
Há relações que não dá para perceber mesmo...mas temos que respeitar/engolir por aqueles que são realmente importantes para nós.

Boa sorte!!

Miss Crises disse...

A mim já me aconteceu o mesmo, e eu fiz tanto a cabeça há minha mãe sobre ele, que ela acabou por ver a realidade. Eu sei que não é justo fazermos isso, mas só estamos a dar um empurrão para as nossas mães verem a realidade.

Ana disse...

Olha Miss Crises, eu já há uns meses que tive uma conversa muito séria com a minha mãe (com quem sempre tivemos uma relação óptima, afinal foi mãe e pai pra nós!) e disse-lhe tudo o que pensava sobre ele. Na altura as coisas mudaram um bocado, agora estão a mesma coisa. O gajo detesta-nos a mim e à minha irmão, nós detestámo-lo, e assim nos vamos tolerando. Ele é o principal motivo de eu querer tanto ir viver pra outra casa.

Mas pronto, tenho de aguentar, ela gosta dele...

Débora disse...

Que engraçado, ao ler alguns dos teus posts, identifico-me com muitas coisas... não sei se feliz ou infelizmente.

Também já senti isso e, no entanto, já não vivia com a minha mãe. Felizmente. Porque com o meu feitiozinho a coisa não iria correr bem se partilhássemos o mesmo tecto.

dinona disse...

Xiiiiii mulher.
Epah, aconselho-te a falares com muita calma com a tua mãe e a expores o teu ponto de vista, pode ser que ela te compreenda.

Fresco_e_Fofo disse...

A Dinona tem toda a razão. A tua mãe não tem nada a dizer?
Arranja um pastor alemão que ele trata da saúde ao caniche eheheh.

Dark angel disse...

Eixxxxx, de confusões lá em casa percebo eu, mas não neste departamento de alguém que chegou de fora... portanto, nem sei o que dizer, mas honestamente... desejo-te muita coragem. E boa-vontade entre vocês as duas, que obviamente terão que ter uma conversa para partilhar pntos de vista...

Beijinhos, e muita sorte...

Artemisa disse...

Uma situação nada fácil... Mas concordo com que aqui foi dito. Pega na tua mãe e vai dar uma volta. Só vocês as duas, e aí aproveitas para falar com ela. Nas calmas!

Mas sabes que às vezes as pessoas só aprendem quando dão uma valente cabeçada a parede...

Bjs