quinta-feira, 7 de abril de 2011

A neura, essa filha da mãe.

Ainda ontem estava a falar sobre isto com o namorado da minha irmã. As empresas ou os patrões a quem os pobres desempregados como eu recorrem em busca de emprego não têm a mínima noção de quantas vezes são incorrectos.

Às vezes vamos a uma entrevista e fartam-se de nos elogiar e de falar como se o lugar já fosse nosso. E nunca mais nos ligam.
Outras vezes ficam de ligar a avisar se fomos seleccionados ou não. E não o fazem.
Outras tantas, como é o meu caso de momento, ficam de ligar para marcarmos reunião para conversarmos sobre o estágio profissional que me disseram que me iam dar. E não ligam. E eu vou lá e não têm tempo para me falar, mandam-me vir noutro dia e nesse dia voltam a não ter tempo. Pedem o contacto para me ligarem quando tiverem disponibilidade e não ligam. Volto a ir lá, espero uma hora e picos para que se dignem a falar comigo, quando falam ficam de me ligar até quarta ou quinta e daqui a pouco é noite e, claro, não ligaram.

Parece que não têm noção de que estão a lidar com a vida das pessoas e que estas devem ser tratadas com um bocadinho mais de atenção e, sobretudo, consideração. Se não quer, está no seu direito, basta dizer. Se não, não prometam mundos e fundos e nunca mais dizem nada! É que eu estou farta de ir ao escritório praticamente pedinchar e não o vou voltar a fazer... sinto-me ridícula!

PS: hoje o recrutador que me fez uma entrevista disse que eu não me mostrava interessada e parecia passiva. Eu fiquei a olhar para ele com ar de parva e só respondi "Eu estou interessada. Mas sabe, são tantas entrevistas e nem uma resposta, uma pessoa desanima. E depois ficam de nos dar uma resposta e não dão, e eu já nem sei que lhe diga. Quanto a estar passiva, desculpe lá, eu estava a ouvi-lo, como todos os outros candidatos... se calhar só não tenho perfil para estar a sorrir muito, porque não faz parte da minha personalidade". E ele disse que por ele já tinha terminado a entrevista há alguns minutos.
Olhem... hoje estou sem paciência para isto tudo, para continuar a esforçar-me sem retorno. Era um emprego de merda e ainda tenho de estar a ouvir parvoíces da boca de alguém que está todo engravatado sentado na sua secretária a querer que eu o convença dos motivos pelos quais estou excitadíssima por ir trabalhar para um sítio longe de casa, que me ia obrigar a gastar 200 euros em gasóleo ao mês em deslocações, mais portagens, mais alimentação, para ganhar 600 e pouco.

Lamento, mas não estava excitadíssima. Estava desanimada e triste conforme ia fazendo as contas do que me ia sobrar e a pensar que tenho de me sujeitar a isto, não excitadíssima.

6 comentários:

Gonçalo disse...

Fogo! =S
Tenho passado pelo mesmo... estava na esperança de ficar numa empresa... mandaram-me mail a dizer q estavam em selecção e que me iam ligar.. passou um mes e tal --'
e pagam-nos mal e porcamente... e fazes entrevistas de MERDA!

Ana disse...

Lol Podes crer, mas que havemos de fazer?

CJ disse...

Olá! Sigo o blogue e nunca tinha comentado, e hoje ao ler este post não consegui ficar indiferente perante a tua situação. Concordo absolutamente quando dizes que há certas entidades patronais que não têm noção da forma como tratam as pessoas, não só as que querem trabalhar, como por vezes as que lá trabalham. Também estudo direito (na clássica) e quando leio o teu blogue e a tua força de vontade em procurar trabalho na área e sempre sem sucesso, realmente deixa a uma pessoa a pensar...só te posso desejar muita sorte e continua a ter essa determinação, certamente um dia, mais cedo ou mais tarde, vais encontrar aquilo que procuras :)

Mr.VideoFoto disse...

Da próxima entra aos saltos no gabinete, porque isto está tão animador que apetece saltar.
São esses "motores da economia", como gostam de se intitular, que fazem do país a merda que ele é.
A culpa da crise é de quem "arrecada" cada vez mais dinheiro, não é de quem o não tem e leva com tudo em cima. E ainda querem animação...

Ana disse...

Olá CJ, bem-vinda! :-) Realmente não te posso dizer que é fácil porque com a licenciatura apenas é muito complicado arranjar trabalho, apesar de a licenciatura durar 4 anos e ser dificílima...
A menos que estejas na (chulice e mamadeira) da Ordem dos Advogados, é mesmo praticamente impossível ter um trabalho na área. Quer dizer, trabalho tens, de graça! Não tens é um emprego remunerado.

É muito complicado, por isso este ano vou avançar para mestrado mas infelizmente tenho de estar a trabalhar para o poder sustentar... não vou viver às custas da mãe para sempre, nem tenho essa hipótese.

Mas olha, estuda muito e muita sorte! :) Um dia chega a nossa.

Ana disse...

Mr.VideoFoto, eu a determinada altura estava mesmo para lhe dizer "mas como é que quer que eu esteja animada, se a PT há uns anos atrás, por um trabalho altamente complicado e responsável, me pagava o ordenado mínimo sem qualquer subsídio de alimentação, por 40 horas semanais? E agora, vá, me quer pagar mais 100 euritos?" lol Enfim...

A PT, que é só tipo... das maiores empresas do país.