quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Dos filhos de 4 patas



(fotos de quando receberam as suas prendas de Natal... uma coleira para cada e paté gourmet!)

Não pretendo ter filhos tão cedo. Tenho 23 anos e sim, acho que ainda é demasiado cedo para isso! Tenho uma vida muito instável, nenhuma capacidade económica e, portanto, isso seria uma asneira da grossa...
Entretanto temos 2 filhos de 4 patas: a Rosinha (cadela labrador preta) e o Rambo (gato rafeiro que parece gato persa). Nós mimamos muito - demasiado - os nossos animais. Talvez porque eu tenha muito sentimento de culpa por eles viverem - principalmente a cadela - num apartamento, não serem livres para passear num quintal, correr na terra, escavar buracos, coisas naturais de animais.
A cadela tem muitos brinquedos. A nossa casa parece uma creche, sempre com brinquedos espalhados pela casa: ora dás um chuto numa máquina fotográfica de borracha, ora num osso azul, ora num osso rosa, ora numa garrafa de borracha verde, ora numa bola de ténis, ora numa pantufa gigante que é um basset hound (a outra pantufa do par só para quando acabar de rasgar esta toda) ora numa almofada azul do Winnie & Pooh. Ela adora a almofada, é a predilecta: se estamos na sala, ela traz para a sala; se estamos na cozinha, ela deita-se com a almofada nas patas; se vamos para a cama, ela traz para a cama e pousa a cabeça nela.
Por saber que ela passa o dia sozinha na cozinha e marquise (onde faz as suas necessidades... e não havia necessidade, dado que ela passeia de manhã, tarde e noite, e já tem dois anos, mas é porca!), habituei-a a dormir connosco. Se isto era engraçado quando ela era pequena, agora que tem mais de 30 quilos e é grande, não tem graça nenhuma. Mas eu olho para aqueles olhinhos e dá-me pena... e digo "Rosinha, anda para a cama com os pais" e ela salta, feliz da vida, para o nosso meio. Sim, ela não gosta de dormir aos pés da cama... mas sim no nosso meio. Às vezes acordo a meio da noite, super desconfortável, e acendo a luz. O cenário faz-me rir sempre: eu e o Caixote esborrachados num canto da cama, e ela esticada a ocupar metade da cama!
Depois vem o gato, que é mau como as cobras. Morde-nos, mia histericamente, não gosta de colo, de mimos, de nada! Só gosta de comer, morder na cadela e atacar-nos.
Mas eu gosto dele, e desculpo porque ele esteve às portas da morte antes de vir para nós, ninguém acreditava que resistisse e por isso ficamos com ele, e então acho que ficou com trauma. Era frágil, feio e torto. E hoje é um gato lindo, menos torto mas ainda um bocado, com um pêlo gigante, cinzento, olhos verdes e muito esperto. Só que é mau, tem esse feitio... não é defeito, é feitio, né?
Também só quer dormir connosco, mas esse dorme em qualquer lado. E acordo todas as manhãs com ele a ronronar em cima da minha cabeça (é o único momento ternurento que ele tem) enquanto zunca (sabem o que é isso, certo?) contra o meu cabelo. Está na adolescência, coitado...

De modos que é isto. São mimados, têm muito amor, são muito bem tratados. E dormem connosco, estamos sempre cheios de pêlo e, tal como eu e o Caixote ainda ontem conversamos, devemos feder a cão e a gato. Mas isso não importa, são os nossos filhos de 4 patas. :)

7 comentários:

NI disse...

Eu aplico aos "meninos" de 4 patas que tenho lá em casa o mesmo princípio que apliquei às minhas duas filhas: dormir na cama dos pais...não.

Quando por motivos profissionais um dos pais está ausente aí abre-se uma excepção.

:)

Beijo

GATA disse...

Eu tenho um 'tarecus teimosus', que tem mau feitio (herdado da progenitora humana), por vezes é snob (como a dona), mas é um querido (como a dona) - e, sim, tem muitooo mimooo!

Eu não cheiro a gato (acho) mas o gato cheira ao meu perfume - o vet até diz que é o único gato que 'usa' perfume! :-)

Cláudia disse...

o meu gato também tem um feitio terrivel! só quer mimo quando quer e só faz o que bem lhe apetece. Mas é giro como o raio e nós fazemos-lhe as vontades todas! :)

...e não dorme na cama, mas tem um lugar no sofá que é só dele e se alguém se senta lá ele mia (berra!) até conseguir ir para lá!

Rita disse...

Que delicia de post :)

Ana Sá disse...

Cláudia, eles são super territoriais... o posto deles é só deles e pronto!

E eu sei que fiz mal em habituá-los à cama... agora temos tentado pôr a cama da Rosa no nosso quarto e ela adormece lá... mas quando acordo de noite ela já está no nosso meio!

Sílvia disse...

Eu percebo-te muito bem. A minha gata por exemplo tem uma cama enorme só pra ela mas dorme onde? exactamente encostada à minha cabeça. Mas amo as minhas bichanas :)

Ana Sá disse...

Silvia, só gente má não ama... ;)