quarta-feira, 4 de janeiro de 2012

Essas coisas acontecem mesmo.

Quando andávamos no 8º ou 9º ano, ou seja, quando tínhamos 13 anos, a menina com quem me dava melhor da turma tinha sempre paixonetas por cantores famosos. Ora foi um de uma boysband, ora foi outro, ora foi outro de outra boysband. Mas ela levava aquilo ao ponto de ir a todos os concertos deles, não sei como de um até tinha o número de telemóvel e falava com a mãe dele, chorava quando nas revistas o homem aparecia com namorada, aquilo era mesm0 o extremo dos extremos. Todos os dias falava nele, gritava, esperneava, chorava, ria, vivia para o homem.
Nesse ano um dos nossos professores foi embora e veio um novo. E ela, que ao início não simpatizava nada com ele, depois começou a achar-lhe graça. No final das aulas ficava a falar com ele, fazia-se levemente a ele (às vezes não tão levemente) e, um dia, não sei como tal, trocaram números de telemóvel. E nós continuamos a ter 13 anos. Na altura as meninas do seu círculo mais chegado sabiam o que se passava, e achávamos o máximo, não sabíamos a gravidade da situação como a sabemos hoje!
O homem tinha mais de 30 anos, era casado e tinha tido um bebé há uns meses. Tinham conversas pelo telemóvel muito pessoais, algumas eróticas, e nós continuávamos a achar aquilo um espectáculo. Chegaram a beijar-se. Numa viagem de estudo, ele de noite foi ter ao nosso quarto. E nós achamos aquilo muito empolgante! Sei que ela desapareceu por uns tempos, não sei o que se passou mas imagino...
Ela falava em ficar com ele, ele dizia-lhe que estava farto da mulher e ia deixá-la (bullshit) para ficar com ela. E ela acreditava.

Não me lembro como a história terminou, acho que foi quando o ano também terminou e ele nunca mais lhe apareceu na frente. E nós continuamos a ter 13 anos, a ser uns pirralhos. E ele tinha mais de 30, era casado e acabado de ser pai de um filho. Por isso sim, estas coisas acontecem mesmo... e ficará para sempre somente no conhecimento dessa menina que agora é mulher, desse professor que continuará provavelmente a fazer o mesmo, e das amiguinhas que na altura achavam graça e hoje acham chocante.

9 comentários:

Phil disse...

É verdade, certamente continua a fazer o mesmo :(

Poison disse...

é triste ele aproveitar-se assim da inocência da miúda!

Também já tive uma paixoneta por um professor quando andava no liceu, mas ele nunca soube...

Ana Sá disse...

É grave meninas, é grave...

Cláudia disse...

Creepy!

nunca tive conhecimento de nenhum caso assim, mas, de facto, aos 13 anos somos uma bocado (bastante?) parvas!

L* disse...

Olha e eu sei de um caso em que havia também uma diferença de idades quase tão grande quanto essa, mas ele acabou por deixar a mulher e ficar com a rapariga...até há uns 2 anos atrás ainda estavam juntos, agora não sei. Mas qualquer um dos casos é chocante...

Ana Sá disse...

L*, a mim não me espanta a diferença de idades... espanta-me ela ter 13 anos, era mesmo uma criança, não era nenhuma mulher. E ele era um adulto, professor dela, casado e com um filho.

L* disse...

E era disso que eu falava...o caso que contei começou também no 9º ano, ou seja, tinha ela 13 anos. Só não era professor dela, nem tinha filho, mas estava casado. Talvez seja normal (?) o fascínio de uma miúda por homens mais velhos, mas faz-me imensa confusão o outro lado...como é que um homem se interessa por uma miúda de 13 anos?!

Ana Sá disse...

Pois, não sei... eu conheci um caso desses, muito próximo, mas viemos a ver que o gajo era simplesmente um maluco com taras. Por isso estava justificado. lol

GATA disse...

Sempre aconteceu. Sempre acontecerá.

Nunca tive paixonetas por professores. Mas tinha paixonetas por artistas (ainda tenho LOL). E com 13 anos ainda era uma criança, pois sempre tive consciência de que teria muito tempo para ser adulta.

Aliás, a pressa em ser adulto tem, por vezes, tem consequências dramáticas...