sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

O meu 2011

Este ano foi, para mim, sobretudo um ano de grandes mudanças. Quando comecei o ano, não tinha emprego. Para conseguir ajudar com alguma coisa em casa, fazia promoções ao fim-de-semana, coisa que detestava mas sempre ia ganhando uns trocos. Depois de muito tentar arranjar emprego na minha área de formação, comecei a enviar curriculuns para tudo quanto era lado, incluindo lojas. Em Abril arranjei emprego numa loja. Se no princípio me entusiasmei muito, rapidamente passei a não gostar do que fazia, pois a pressão com as vendas era muito mais do que a saudável, era quase tortura psicológica. Mas adorava os colegas, com quem me ria muito e com alguns deles, assim acredito, formei uma linda relação de amizade. Em Maio fui viver junta com o meu Caixote, depois de vários meses a amealharmos o que podíamos. Temos uma casa bonita, dois animais terríveis, que só fazem asneiras, maus como as cobras mas muito, muito amados.
No Verão tomei a decisão de concorrer a mestrado na minha área. Contra tudo o que esperava, entrei num mestrado com apenas 15 vagas. Fiquei tola de felicidade, consegui o que queria e tive de me demitir do meu emprego, pois não era compatível com um mestrado no Porto. E decidi abrir a loja que há tantos anos queria ter, o meu mundo mágico, sem dúvida o meu Conto de Fadas.
A 14 de Outubro inauguramos a nossa loja. É a loja mais bonita de todas, com as coisas mais bonitas de todas... Não sei se fiz bem se fiz mal, só os próximos meses me dirão se a loja vai aguentar ou não numa cidade tão difícil como Viana, mas vamos acreditar que sim.
A 17 de Outubro comecei o mestrado. Depois de gastar 250 euros na propina e quase 300 em viagens e portagens num só mês, desisti. Não conseguia suportar as despesas e teve de ser. Neste momento, estou à espera da resposta ao meu requerimento para suspensão de matrícula (se for aceite, tenho de pagar mais 250 euros até amanhã mas mantenho a vaga; se não, tenho de pagar na mesma mais 250 euros e perco a vaga. Ele já foi recusado uma vez, penso que vai ser a segunda. Chulos.).
Já chorei muito em pânico com o que me pode acontecer aqui na loja, pois contraí uma dívida com um familiar meu e vou pagá-la, embora saiba que não me vai ser exigida nunca. Já desesperei. Já saí daqui muito feliz. Já me enchi de orgulho com os elogios que ouvi à minha loja. Já senti tudo nesta loja.

Se 2011 foi um ano bom? Pode-se dizer que sim... houve saúde, dinheiro para o essencial, não houve mortes na família (de admirar), não houve doenças graves. Continuo a ter amor, o que mais importa. Sim, foi um ano bom.

Estou pronta para 2012, traga ele o que trouxer.

5 comentários:

Cláudia disse...

O meu também não foi dos melhores, mas o importante é manter a cabeça erguida e a vontade de continuar a lutar.

Beijinho de bom ano e que 2012 Nos traga tudo de bom*

Ana Sá disse...

:) Cláudia, assim espero. Beijinho, bom ano!

NI disse...

Ana, o ano de 2011 será daqueles que vai ser muito bem encaixotado e guardado na parte mais recôndita da memória. Foi, sem dúvida, dos piores anos da minha vida. Mas consegui vencer todos os obstáculos.

Não faço planos para 2012. Sempre que tive essa veleidade saiu tudo ao contrário.

Para ti desejo saúde que te permita encarar da melhor forma o desafio que abarcaste. Tenacidade e força de vontade não te faltam.

Um grande 2012.

Beijo

Ana Sá disse...

:) Obrigada Ni, depois da tempestade vem a bonança e estou certa de que 2012 vai ser um bom ano para ti. :) Boa passagem de ano!

Petra disse...

Bom ano! e muito boa sorte!