segunda-feira, 28 de março de 2011

Afinal não falei no livro. Improvisei e falei em animais, na falta de direitos deles, no amor que lhes tenho e no quanto nos ajudam (cães-guia, cães-polícia, cães que detectam ataques epilépticos...). Senti-me à vontade no tema, porque o expus com o coração e acho que correu muito bem.

E a verdade é que depois de ver um a descrever o motor de um carro, outra o processo de lavagem das mãos, outro a sua própria vida e outra a ornitologia, qualquer coisa de que falasse a seguir era fantástica... AhAhAh

Quase que me pego lá com uma a defender as touradas, ai meu deus... só lhe disse que não ia compreender e que era impossível que uma pessoa anti-touradas (eu) e uma pessoa a favor delas (ela) algum dia chegassem a um acordo a esse respeito.

2 comentários:

boneca de porcelana disse...

Ainda bem que correu bem :) Quantos aos outros temas: fantástico o que as pessoas escolheram! Quanto à tua posição anti-touradas, eu sou como tu logo também agiria como tu nessa situação.

Ana disse...

Pois eu não consigo calar-me nem ficar indiferente quando ouço alguém dizer o que eu considero ser uma barbaridade. Sem desrespeito por quem gosta, eu acho nojento...